Aclimatação florestal pode amenizar efeitos do aquecimento global

Claudio Macedo
22/03/2016

Árvores no outono. [1]
Árvores no outono. [1]
Durante o dia, as árvores absorvem gás carbônico (CO2), combina-o com água e luz solar para realizar a fotossíntese. À noite, a respiração das plantas queima carboidratos para gerar energia e libera CO2 para a atmosfera. Com esse processo noturno, a respiração das árvores do mundo gera um fluxo anual de CO2 para a atmosfera que é seis vezes maior do que aquele devido às emissões da queima de combustíveis fósseis [2].

A respiração das plantas aumenta com a elevação da temperatura. Isto significa que, com um mundo em aquecimento, pode resultar na liberação de CO2 respiratório adicional, e, portanto, contribuir ainda mais para o aquecimento atmosférico.

Considerando que as mudanças na respiração das plantas poderão impactar fortemente o clima futuro, pesquisadores norte-americanos desenvolveram uma pesquisa exaustiva, durante 5 anos, visando obter previsões realistas de liberação respiratória de CO2 por parte das árvores, sob possíveis condições climáticas futuras [2].

Os pesquisadores acompanharam a aclimatação respiratória de 2,6 mil árvores de 10 espécies diferentes, metade das quais submetidas a um aquecimento artificial permanente de cerca de 3,4 °C acima da temperatura ambiente, mas submetidas às chuvas e ventos naturais da região. Como resultado, os autores do estudo observaram forte aclimatação da respiração das folhas das árvores como resposta ao aquecimento das dez espécies de árvores estudadas.

As plantas cultivadas a 3,4 °C acima da temperatura ambiente aumentaram em média 5% a respiração das folhas em relação às demais plantas cultivadas à temperatura ambiente. Os modelos climáticos atuais, sem levar em conta a aclimatação, consideram que nessas condições de temperatura o aumento deveria ser de 23% [2].

Se tais efeitos atenuantes de aclimatação térmica de folhas ocorrem de forma generalizada com as demais espécies vegetais, o aumento da taxa de respiração de plantas terrestres em resposta ao aquecimento global pode ser bem menor do que o previsto e, portanto, o aumento das concentrações atmosféricas de CO2, deverá ser menor que o calculado nos modelos climáticos atuais. Tal melhoria poderá ser ainda maior se caules e raízes mostrarem aclimatação semelhante às das folhas. Novas pesquisas são necessárias, mas, esses resultados já se tornam extremamente úteis para a atualização dos modelos climáticos. [3]

[1] Crédito da imagem: Petr Kratochvil (Free Stock Photos) / Creative Commons CC0. URL: http://www.freestockphotos.biz/stockphoto/9069.

[2] PB Reich et al. Boreal and temperate trees show strong acclimation of respiration to warming. Nature 531, 633 (2016).

[3] Artigos relacionados: A grande participação de pequenos lagos nos gases de efeito estufa, Impacto do aquecimento global na produção de energia elétrica, Como a temperatura afeta a economia? e Derretimento do gelo antártico.

Como citar este artigo: Claudio Macedo. Aclimatação florestal pode amenizar efeitos do aquecimento global. Saense. URL: http://www.saense.com.br/2016/03/aclimatacao-florestal-pode-amenizar-efeitos-do-aquecimento-global/. Publicado em 22 de março (2016).

Artigos de Claudio Macedo     Home

Publicado por

Claudio Macedo

Claudio Macedo

Doutor em Física. Divulgador de Ciência. Professor da Universidade Federal de Sergipe (1976-2016). Escreve sobre Temas Variados da Ciência no Saense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.