A iluminação que facilita a aprendizagem

Claudio Macedo
03/05/2016

Sala de aula. [1]
Sala de aula. [1]
As lâmpadas incandescentes emitem luz entre 2.500 K e 3.000 K, que é percebida como branca amarelada, e a luz do dia é de cerca de 6.500 K e é percebida como branca azulada. As lâmpadas fluorescentes podem ser fabricadas para emitir luz com especificação de cor fixa entre 2.500 K e 5.000 K. Já as luminárias de LEDs (diodos emissores de luz) podem ter seus parâmetros de cores de luz ajustados em tempo real [2].

Estudos recentes têm indicado que a iluminação com diferentes cores de luz tem efeitos profundos nas condições físicas e mentais dos seres humanos, podendo influenciar a fisiologia e afetar o estado psicológico e comportamental.

Alguns trabalhos têm registrado haver melhorias significativas no desempenho de estudantes do ensino médio, em termos de aumento da velocidade de leitura, diminuição de erros, e diminuição de comportamento hiperativo, além de um efeito positivo sobre a concentração, dependendo da cor de luz utilizada na iluminação dos ambientes escolares.

Seguindo essa temática, pesquisadores coreanos estudaram os efeitos de diferentes parâmetros de iluminação sobre o desempenho cognitivo dos alunos da 4a série do ensino fundamental [2].

Primeiro, os pesquisadores mediram as respostas fisiológicas com voluntários adultos em um ambiente de laboratório. Utilizando luminárias de LEDs eles examinaram o efeito de diferentes parâmetros de iluminação (3.500, 5.000 e 6.500 K) sobre o nível de alerta fisiológico de cada voluntário utilizando eletrocardiograma. Foi observado que a condição de iluminação 6.500 K correspondeu ao nível mais alto de alerta fisiológico, enquanto a condição 3.500 K foi a mais relaxante.

Depois, os autores observaram as respostas cognitivas e comportamentais durante as atividades acadêmicas e de recesso de crianças em um ambiente real de sala de aula. Eles estudaram dois grupos de alunos da quarta série: um em sala equipada com luminárias de LEDs, e o outro, que foi o grupo de controle, em sala com luzes fluorescentes convencionais. Conclusivamente, os estudantes obtiveram notas melhores nos testes acadêmicos quando estiveram sob a condição de iluminação 6.500 K e tiveram o melhor desempenho em atividades de recesso sob iluminação de 3.500 K.

O trabalho dos coreanos mostra que pequenas mudanças no ambiente de sala de aula, como as condições de iluminação, podem fazer uma grande diferença no desempenho dos estudantes. Agora, esse tipo de pesquisa deve ampliar-se para caracterizar de forma prática quais devem ser os parâmetros ideais de iluminação para os diversos ambientes de aprendizagem.

[1] Crédito da imagem: pang yu liu (Flickr) / Creative Commons (CC BY-SA 2.0). URL: https://www.flickr.com/photos/pangyuliu/14913306117.

[2] K Choi and HJ Suk. Dynamic lighting system for the learning environment: performance of elementary students. Optics Express 24, A907 (2016).

Como citar este artigo: Claudio Macedo. A iluminação que facilita a aprendizagem. Saense. URL: http://www.saense.com.br/2016/05/a-iluminacao-que-facilita-a-aprendizagem/. Publicado em 03 de maio (2016).

Artigos de Claudio Macedo     Home

Publicado por

Claudio Macedo

Claudio Macedo

Doutor em Física. Divulgador de Ciência. Professor da Universidade Federal de Sergipe (1976-2016).
Escreve sobre Temas Variados da Ciência no Saense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *