Campo elétrico para tratar tumores?

Ana Maia
18/07/2016

Dispositivo desenvolvido para aplicação de campo elétrico no tratamento de tumores. [1]
Dispositivo desenvolvido para aplicação de campo elétrico no tratamento de tumores. [1]
Em 2004, um estudo de um grupo israelense, publicado em um periódico da American Association for Cancer Research, impulsionou os estudos de uma nova forma de tratamento para o câncer baseada na aplicação de campos elétricos alternados de baixa intensidade e frequência intermediária (100 a 300 kHz) [2]. A técnica foi denominada de tumor-treating fields (TTF) [3]. Embora a técnica tenha mostrado bom potencial, sobretudo na redução significativa dos efeitos colaterais durante o tratamento do tumor, ainda há muito o que se responder sobre seu mecanismo de ação e sua eficiência. Atualmente, o uso da técnica só foi aprovado nos EUA para tratamento de Gliobastomas, que é o tipo mais comum, e também muito agressivo, de tumor maligno primário de cérebro.

Um novo grande passo foi dado recentemente na direção de entender e viabilizar a técnica TTF. Um grupo do Massachusetts Institute of Technology (MIT) desenvolveu um dispositivo que permite a aplicação de campos elétricos altamente controlados e que foram testados em matrizes extracelulares tridimensionais compostas por hidrogéis com células tumorais de mama ou de pulmão e, em alguns casos, também com células endoteliais sadias [4]. Os resultados mostraram que a aplicação de campos elétricos alternados de 150 kHz e intensidade de 1,1 V/cm efetivamente freou o crescimento e a proliferação de células cancerígenas, preservando as células sadias.

O dispositivo criado certamente será um grande aliado no entendimento da ação de campos elétricos alternados em células tumorais e sadias. Além disso, a técnica proposta poderá viabilizar a escolha de combinações específicas de campos elétricos e quimioterapia para cada paciente, viabilizando uma medicina personalizada.

Como os tratamentos convencionais de câncer (radioterapia, quimioterapia e cirurgia) são bastante agressivos, novas técnicas continuam sendo buscadas. Nesta direção, a TTF vem se mostrando promissora e deverá crescer de forma bastante significativa na próxima década.

[1] Crédito da imagem: A Pavesi et al. / Creative Commons (CC BY 4.0). URL: http://www.nature.com/articles/srep26584/figures/1.

[2] ED Kirson et al. Disruption of Cancer Cell Replication by Alternating Electric Fields. Cancer Research 64, 3288 (2004).

[3] AM Davies et al. Tumor treating fields: a new frontier in cancer therapy. Ann NY Acad Sci 1291, 86 (2013).

[4] A Pavesi et al. Engineering a 3D microfluidic culture platform for tumor-treating field application. Scientific Reports 6, 26584 (2016).

Como citar este artigo: Ana Maia. Campo elétrico para tratar tumores? Saense. URL: http://www.saense.com.br/2016/07/campo-eletrico-para-tratar-tumores/. Publicado em 18 de julho (2016).

Artigos de Ana Maia     Home

Publicado por

Ana Maia

Ana Maia

Doutora em Tecnologia Nuclear. Professora da Universidade Federal de Sergipe. Escreve sobre Física Médica e Tecnologia Nuclear no Saense.

4 thoughts on “Campo elétrico para tratar tumores?”

  1. Dra Ana Maria, já existe tratamento TTF no Brasil ? Li que as aplicações estão direcionadas para as ocorrências cerebrais. Aplicações abdominais estão em curso ? Agradeço antecipadamente.

    1. Caro Sergio, até onde tenho conhecimento, este tratamento ainda não está disponível no Brasil e as aplicações não cerebrais ainda estão em fase de pesquisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *