Nanopartículas melhoram o efeito da imunoterapia no tratamento do câncer metastático

Ana Maia
21/08/2017

Células de melanoma metástico. [1]
A imunoterapia está em alta. Foi eleita o avanço do ano pela revista Science em 2013 [2] e no ano passado pela American Society of Clinical Oncology (ASCO) [3]. A ideia da imunoterapia é mudar o alvo de ação da medicação, focando em atingir o sistema imunológico e ajudá-lo a combater o câncer. Há ainda muito o que se entender nesta terapia, cujos relatos científicos vão de situações de cura total em casos gravíssimos a situações nas quais não se observa qualquer efeito ou em que se observam efeitos colaterais sérios.

A potencialidade da técnica tem feito com que a comunidade científica dedique muitos esforços e os resultados surgem de forma numerosa e animadora. A união da imunoterapia com a radioterapia tem sido amplamente pesquisada na busca da potencialização do tratamento radioterápico e também na indução do efeito abscopal, que é quando se observa redução de sítios cancerígenos distantes da região irradiada, numa ação sistémica da radioterapia.

Em um estudo muito recente [4], os pesquisadores americanos e chineses utilizaram nanopartículas para buscar aumentar as chances do efeito abscopal da radioterapia. As nanopartículas utilizadas conseguem capturar proteínas que são liberadas pelas células cancerígenas em tratamento radioterápico. A presença das nanopartículas estimula a ação do sistema imunológico que, normalmente, age agressivamente a partículas de tamanho nanométrico que são identificadas como invasores, tipo os vírus. E as proteínas cancerígenas por elas capturadas servem para “treinar” o sistema imunológico a identificar o câncer em qualquer lugar que ele esteja no corpo para combatê-lo.  Assim, o estudo mostrou que há enormes potencialidades na união da nanotecnologia com a radioterapia e a imunoterapia.

Ainda não é possível dizer se a tão sonhada “cura” do câncer virá da imunoterapia, como já foi aventado pelos mais entusiastas, mas alguns “milagres” científicos já estão sendo observados e deixam cientistas animados e a população em geral cheia de esperança.

[1] Crédito da imagem: Julio C. Valencia [Public domain], via Wikimedia Commons. URL: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Metastatic_Melanoma_Cells_Nci-vol-9872-300.jpg.

[2] J Couzin-Frankel. Cancer Immunotherapy. Science 10.1126/science.342.6165.1432 (2013).

[3] HJ Burstein et al. Clinical Cancer Advances 2017: Annual Report on Progress Against Cancer From the American Society of Clinical Oncology. J Clin Oncol 10.1200/JCO.2016.71.5292 (2017).

[4] Y Min et al. Antigen-capturing nanoparticles improve the abscopal effect and cancer immunotherapy. Nat Nanotechnol 10.1038/nnano.2017.113 (2017).

Como citar este artigo: Ana Maia. Nanopartículas melhoram o efeito da imunoterapia no tratamento do câncer metastático. Saense. URL: http://www.saense.com.br/2017/08/nanoparticulas-melhoram-o-efeito-da-imunoterapia-no-tratamento-do-cancer-metastatico/. Publicado em 21 de agosto (2017).

Artigos de Ana Maia     Home

Publicado por

Ana Maia

Ana Maia

Doutora em Tecnologia Nuclear. Professora da Universidade Federal de Sergipe. Escreve sobre Física Médica e Tecnologia Nuclear no Saense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *