Aumentando a longevidade de idosas com atividade física leve

Claudio Macedo
30/11/2017

[1]
A associação entre atividade física leve e moderada e a mortalidade de mulheres idosas com idade entre 63 e 99 anos foi cuidadosamente examinada por pesquisadores dos EUA [2]. Utilizando diariamente um acelerômetro (aparelho que mede variações da aceleração do corpo em relação à gravidade), 6.382 mulheres foram acompanhadas em suas atividades físicas entre 2012 e 2014 e, através de registros de óbitos, tiveram o índice de mortalidade analisado entre 2012 e 2016. Os resultados do trabalho indicam que 30 minutos de atividade física leve regular por dia, diminuíram o risco de mortalidade das mulheres em 12%, enquanto 30 minutos diários adicionais de atividade física moderada, como andar de bicicleta a um ritmo lento ou uma caminhada rápida, diminuíram o risco de mortalidade em 39%, quando comparados a uma vida sedentária. As atividades físicas leves mensuradas pelo acelerômetro incluem coisas usuais do dia a dia, como passear pela vizinhança, arrumar a casa e dobrar roupas. Estas atividades simples, representaram 55% das atividades feitas pelas idosas no estudo.

A pesquisa é extremamente relevante. As diretrizes internacionais de atividade física para se obter benefícios para a saúde é que os adultos, independente da idade, realizem pelo menos 2,5 horas por semana de atividade física moderada ou 1,25 horas por semana de atividade física aeróbica de intensidade vigorosa. Inúmeros trabalhos têm validado a eficiência dessas diretrizes nos indicadores de saúde das pessoas que realizam atividades físicas nesses níveis recomendados. O grande problema é que a maioria dos idosos não conseguem atender as diretrizes e, naturalmente, têm o desestímulo de metas inalcançáveis. Agora, com esse estudo, podemos afirmar que toda atividade física que as habilidades e condições do idoso permitam realizar são benéficas para a saúde e podem impactar positivamente em sua longevidade. [3]

[1] Crédito da imagem: PaelmerPhotoArts (Pixabay) / Creative Commons CC0. URL: https://pixabay.com/en/pair-seniors-pensioners-age-2914879/.

[2] MJ LaMonte et al. Accelerometer-Measured Physical Activity and Mortality in Women Aged 63 to 99. J Am Geriatr Soc 10.1111/jgs.15201 (2017).

[3] Artigos relacionados: Atividade física contra a doença de Alzheimer e As quatro características de estilo de vida saudável.

Como citar este artigo: Claudio Macedo. Aumentando a longevidade de idosas com atividade física leve. Saense. URL: http://www.saense.com.br/2017/11/aumentando-a-longevidade-de-idosas-com-atividade-fisica-leve/. Publicado em 30 de novembro (2017).

Artigos de Claudio Macedo     Home

Publicado por

Claudio Macedo

Claudio Macedo

Doutor em Física. Divulgador de Ciência. Professor da Universidade Federal de Sergipe (1976-2016).
Escreve sobre Temas Variados da Ciência no Saense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *