O perfeccionismo que cresce entre os jovens

Claudio Macedo
11/01/2018

Perfeccionismo. [1]
Pesquisa inglesa envolvendo estudantes universitários dos EUA, Canadá e Reino Unido constatou um crescimento sistemático nos níveis de perfeccionismo desses jovens nos últimos 27 anos. Isto significa que os jovens desses países estão cada vez mais se submetendo a padrões pessoais excessivamente elevados, isto é, os jovens das gerações recentes são mais exigentes de si mesmos, são mais exigentes dos outros e têm a percepção que os outros são mais exigentes deles [2].

O trabalho foi feito a partir da análise de dados de 41.641 estudantes universitários americanos, canadenses e britânicos, que participaram de testes da Escala de Perfeccionismo Multidimensional entre 1989 e 2016 [3]. No estudo ficou evidenciado um crescimento linear nos níveis dos três tipos de perfeccionismo entre os estudantes: perfeccionismo auto-orientado (procura da perfeição pessoal em um padrão extremamente elevado), perfeccionismo socialmente direcionado (procura da perfeição pessoal para atender ao que acredita ser o que ou outros consideram ser perfeito) e perfeccionismo orientado para os outros (espera que as outras pessoas sejam perfeitas, segundo padrões estabelecidos por si mesmo). No período, os escores nos testes de perfeccionismo auto-orientado aumentaram em 10%, os de socialmente direcionado aumentaram 33% e os de orientado para os outros aumentaram 16%.

O aumento do perfeccionismo tem afetado a saúde psicológica dos estudantes universitários dos três países; têm sido constatados, entre eles, níveis mais elevados de depressão, ansiedade e pensamentos suicidas do que há uma década.

Os autores correlacionam o aumento do perfeccionismo entre os jovens com o surgimento, nos países objeto do estudo, a partir da década de 1980, de governos comprometidos com plena concorrência e recompensa baseada no mercado, isto é, governos baseados no neoliberalismo (modelo de sociedade suportada pelos princípios capitalistas do século 19, revividos no presente). O neoliberalismo eleva o mercado e os sistemas de avaliação interpessoal baseados no mercado, ao nível das normas aprovadas pelo estado.

Ao longo do período da pesquisa o neoliberalismo conseguiu mudar os valores culturais de modo a enfatizar a competitividade, o individualismo e os ideais do eu “que pode se tornar perfeito”; efetivamente, ganhou força na sociedade o ideal da meritocracia neoliberal: aqueles que chegam às universidades, ou ganham ocupações mais rentáveis, recebem as devidas recompensas de riqueza e status social; aqueles que não alcançam essas alturas educacionais e profissionais, são menos meritórios e sua fraca conquista reflete suas habilidades pessoais inadequadas. Isto é, a doutrina da meritocracia neoliberal liga os princípios da realização educacional e profissional, status e riqueza, com o valor pessoal inato.

A continuação das políticas neoliberais colocou um fardo mais pesado para as gerações recentes de jovens, que passaram a se esforçar mais contra os outros sob os auspícios da meritocracia neoliberal e sob o olhar atento de pais cada vez mais exigentes, por se sentirem corresponsáveis pelo sucesso ou fracasso dos filhos.

Diante de um quadro político e social desse tipo, que se estende por mais e mais países do mundo, cabe aos pais e escolas promoverem ações desestimuladoras de concorrência entre os jovens visando mitigar os efeitos nocivos da cultura onipresente da meritocracia neoliberal e, assim, proteger a saúde mental da juventude.

[1] Crédito da imagem: TeroVesalainen (Pixabay) / Creative Commons CC0. https://pixabay.com/en/target-goal-success-dart-board-1955257/.

[2] T Curran, AP Hill. Perfectionism Is Increasing Over Time: A MetaAnalysis of Birth Cohort Differences From 1989 to 2016. Psychological Bulletin 10.1037/bul0000138 (2017).

[3] Veja um estudo sobre a Escala Multidimensional de Perfeccionismo em português: MJ Soares et al. Escala Multidimensional de Perfeccionismo: Adaptação à População Portuguesa. Revista Portuguesa de Psicossomática 5, 46 (2003).

Como citar este artigo: Claudio Macedo. O perfeccionismo que cresce entre os jovens. Saense. http://www.saense.com.br/2018/01/o-perfeccionismo-que-cresce-entre-os-jovens/. Publicado em 11 de janeiro (2018).

Artigos de Claudio Macedo     Home

Publicado por

Claudio Macedo

Claudio Macedo

Doutor em Física. Divulgador de Ciência. Professor da Universidade Federal de Sergipe (1976-2016). Escreve sobre Temas Variados da Ciência no Saense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.