O sucesso didático de atividades ao ar livre combinadas com sala de aula

Claudio Macedo
07/02/2018

[1]
Pesquisadores norte-americanos descobriram que crianças entre 9 e 10 anos de idade, após uma aula ao ar livre ficam mais envolvidas com o trabalho escolar na sala de aula. Após uma lição na natureza, os professores foram capazes de ensinar por quase o dobro do tempo sem ter que interromper a instrução para redirecionar a atenção dos alunos [2].

No trabalho, os autores consideraram diferentes turmas de alunos dessa faixa etária, de uma escola dos EUA, para testar se lições na natureza teriam efeitos positivos ou negativos no engajamento subsequente na sala de aula.

Usando pares de aulas cuidadosamente combinados (uma em um ambiente exterior e uma em ambiente fechado), observaram o envolvimento subsequente na sala de aula, replicando essas comparações com diferentes assuntos em 10 semanas distintas do ano letivo. Os pares de aulas foram equilibradas, em termos de frequência, tal que a aula ao ar livre precedeu ou seguiu a instrução na sala de aula.

O envolvimento na sala de aula foi significativamente melhor depois das aulas na natureza do que após as correspondentes para quatro medidas desenvolvidas para esse estudo: (a) avaliações de professores, (b) números de “redirecionamentos” (o número de vezes que o professor interrompeu a instrução para direcionar a atenção do aluno de volta para a tarefa em questão), (c) classificações independentes baseadas em fotos feitas e (d) um índice composto; todas as medidas mostraram vantagem no uso da aula na natureza antes da atividade na sala de aula. Como a escolha dos pares de aulas considerou diferentes professores, turmas, assuntos, estilos de ensino, semanas do semestre e horas do dia, a vantagem das lições baseadas na natureza não pode ser atribuída a nenhum desses fatores.

O trabalho indica claramente que as lições na natureza, ao ar livre, podem realmente deixar os alunos mais dispostos a se envolver na próxima lição. Essa evidência, vem se juntar ao conhecimento, bem estabelecido, de que um maior contato das crianças com a natureza, no decorrer do dia na escola, é susceptível de produzir nelas um conjunto de dividendos adicionais, que incluem a melhoria da saúde física e mental [2]. Sendo assim, que as escolas promovam mais aulas ao ar livre para o bem de nossas crianças!

[1] Crédito da imagem: congerdesign (Pixabay) / Creative Commons CC0. https://pixabay.com/en/book-read-relax-meadow-book-pages-2304388/.

[2] M Kuo et al. Do Lessons in Nature Boost Subsequent Classroom Engagement? Refueling Students in Flight. Front Psychol 10.3389/fpsyg.2017.02253 (2018).

Como citar este artigo: Claudio Macedo. O sucesso didático de atividades ao ar livre combinadas com sala de aula. Saense. http://www.saense.com.br/2018/02/o-sucesso-didatico-de-atividades-ao-ar-livre-combinadas-com-sala-de-aula/. Publicado em 07 de fevereiro (2018).

Artigos de Claudio Macedo     Home

Publicado por

Claudio Macedo

Claudio Macedo

Doutor em Física. Divulgador de Ciência. Professor da Universidade Federal de Sergipe (1976-2016). Escreve sobre Temas Variados da Ciência no Saense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.