Entendendo a Gravidade: Parte 3 – Observações que comprovam a Relatividade Geral

Marcelo M. Guimarães
05/03/2017

Ilustração mostrando como o espaço-tempo ao redor da Terra é deformado e arrastado. [1]
A complexidade matemática que a Relatividade Geral (RG, de agora em diante) trouxe à tona no início do século XX se tornou um obstáculo à sua aceitação, mesmo por parte da comunidade científica. Continuar lendo Entendendo a Gravidade: Parte 3 – Observações que comprovam a Relatividade Geral

Entendendo a Gravidade: Parte 2 – A Construção da Relatividade Geral

Marcelo M. Guimarães
19/02/2017

Albert Einstein e suas contribuições para o nosso entendimento da natureza. [1]
Abordaremos hoje a construção da tão famosa Teoria da Relatividade Geral, apresentada ao mundo em 1915 por Albert Einstein. Continuar lendo Entendendo a Gravidade: Parte 2 – A Construção da Relatividade Geral

Entendendo a Gravidade: Parte 1 – Gravitação de Newton

Marcelo M. Guimarães
05/02/2017

Foto tirada pelo autor em 2007 em uma visita a Cambridge. Essa é a edição de 1686 dos Princípios Matemáticos da Filosofia Natural, escrita por Isaac Newton e que revolucionou o pensamento científico. Ela está guardada na biblioteca do Trinity College, onde Newton estudou e foi professor.

Iniciarei hoje uma série de ensaios sobre a Gravidade, assim mesmo, com G maiúsculo. Começaremos com a Gravitação Universal de Newton, passaremos pela Relatividade Geral de Einstein, Continuar lendo Entendendo a Gravidade: Parte 1 – Gravitação de Newton

É possível fazer previsões na Astronomia?

Marcelo M. Guimarães
15/01/2017

Conceito artístico de duas estrelas formando uma binária de contato. [1]
Nos dias de hoje, devido à poluição luminosa das cidades grandes, temos acesso a poucos fenômenos celestes. Continuar lendo É possível fazer previsões na Astronomia?

Porque celebramos o Natal?

Marcelo M. Guimarães
25/12/2016

Se você é como o Charlie Brown que todo ano se pergunta qual o sentido do Natal, talvez hoje você encontre a resposta. [1]
Se você é como o Charlie Brown que todo ano se pergunta qual o sentido do Natal, talvez hoje você encontre a resposta. [1]
Astronomicamente falando, é porque o eixo de rotação da Terra é inclinado de 23º, fazendo com que durante metade da sua translação ao redor do Sol Continuar lendo Porque celebramos o Natal?

Usando um telescópio para estudar eletrodinâmica quântica

Marcelo M. Guimarães
11/12/2016

Impressão artística mostrando como a luz originada na superfície de uma estrela de nêutrons (à esquerda) é linearmente polarizada à medida que atravessa o espaço em direção à Terra (à direita). Nos dois quadros menores podemos ver um modelo computacional que mostra como a polarização da luz é modifica pelo intenso campo magnético, os vetores vermelhos representam o campo magnético e os vetores azuis o campo elétrico. [1]
Impressão artística mostrando como a luz originada na superfície de uma estrela de nêutrons (à esquerda) é linearmente polarizada à medida que atravessa o espaço em direção à Terra (à direita). Nos dois quadros menores podemos ver um modelo computacional que mostra como a polarização da luz é modifica pelo intenso campo magnético, os vetores vermelhos representam o campo magnético e os vetores azuis o campo elétrico. [1]
A mecânica quântica surgiu no início do século 20 para nos ajudar a entender o comportamento de coisas muito pequenas, Continuar lendo Usando um telescópio para estudar eletrodinâmica quântica

Um sistema múltiplo observado no momento de sua formação

Marcelo M. Guimarães
30/10/2016

Imagem do sistema L1448 IRS3B feita com o ALMA mostrando duas protoestrelas no centro e uma terceira protoestrela mais distante à esquerda. A estrutura espiral de gás e poeira, também visível na imagem, indica instabilidade gravitacional no disco. [1]
Imagem do sistema L1448 IRS3B feita com o ALMA mostrando duas protoestrelas no centro e uma terceira protoestrela mais distante à esquerda. A estrutura espiral de gás e poeira, também visível na imagem, indica instabilidade gravitacional no disco. [1]
Ao se fazer a estatística de multiplicidade estelar percebe-se que a maioria das estrelas possuem uma Continuar lendo Um sistema múltiplo observado no momento de sua formação

A Abundância de água no Sistema Solar

Marcelo M. Guimarães
09/10/2016

Planeta Terra, onde água pode ser encontrada nas fases sólida, líquida e gasosa. [1]
Planeta Terra, onde água pode ser encontrada nas fases sólida, líquida e gasosa. [1]
Até o início do século XXI os únicos locais onde havia água no Sistema Solar, segundo nosso conhecimento, Continuar lendo A Abundância de água no Sistema Solar

Quão isotrópico é o Universo?

Marcelo M. Guimarães
25/09/2016

Anisotropias na Radiação Cósmica de Fundo (RCF) medidas pelo satélite Planck. A RCF é a imagem mais antiga que temos do Universo, quando ele tinha aproximadamente 380.000 anos. As diferenças nas cores representam diferenças de temperatura em regiões com densidades ligeiramente diferentes. O vermelho significa uma temperatura de +25 mK (mili-Kelvins) acima da média e o azul -25 mK abaixo da média. A RCF é a radiação eletromagnética, na região de micro-ondas, para um corpo-negro com temperatura de 2,73 K. [1]
Anisotropias na Radiação Cósmica de Fundo (RCF) medidas pelo satélite Planck. A RCF é a imagem mais antiga que temos do Universo, quando ele tinha aproximadamente 380.000 anos. As diferenças nas cores representam diferenças de temperatura em regiões com densidades ligeiramente diferentes. O vermelho significa uma temperatura de +25 mK (miliKelvins) acima da média e o azul -25 mK abaixo da média. A RCF é a radiação eletromagnética, na região de micro-ondas, para um corpo negro com temperatura de 2,73 K. [1]
Na cosmologia moderna o princípio de Copérnico fala que o Universo é isotrópico e homogêneo em Continuar lendo Quão isotrópico é o Universo?

Planeta gigante ou Anã Marrom?

Marcelo M. Guimarães
11/09/2016

Imagem da Nebulosa de Orion (M42) obtida com o satélite WISE. [1]
Imagem da Nebulosa de Orion (M42) obtida com o satélite WISE. [1]
A imagem acima mostra grandes nuvens de gás e poeira a partir das quais as estrelas nascem. De forma sucinta, devido à baixa temperatura dessas nuvens Continuar lendo Planeta gigante ou Anã Marrom?