Norte, leste, sul, oeste: as muitas faces de Abell 1758

ESA
02/03/2018

Esta imagem do telescópio espacial Hubble mostra a parte norte do aglomerado de galáxias Abell 1758, A1758N. O aglomerado está a aproximadamente 3,2 bilhões de anos-luz da Terra. [1]
Embora muitas vezes ofuscado por seus primos mais famosos – incluindo o  aglomerado Fornax e o aglomerado de Pandora – Abell 1758 contém mais do que Continuar lendo Norte, leste, sul, oeste: as muitas faces de Abell 1758

Comportamento estranho de estrela revela buraco negro solitário em aglomerado estelar gigante

ESO
28/02/2018

Com o auxílio do instrumento MUSE do ESO, montado no Very Large Telescope no Chile, astrônomos descobriram uma estrela no aglomerado NGC 3201 comportando-se de forma muito estranha. A estrela parece orbitar um buraco negro invisível com cerca de quatro vezes a massa do Sol — o primeiro buraco negro inativo de massa estelar a ser encontrado num aglomerado globular e o primeiro descoberto diretamente através da detecção do seu efeito gravitacional. Esta importante descoberta tem um forte impacto na nossa compreensão da formação destes aglomerados estelares, buracos negros e origem de eventos de ondas gravitacionais.

Os aglomerados estelares globulares são enormes esferas de dezenas de milhares de estrelas que orbitam a maioria das galáxias. Estes objetos encontram-se entre Continuar lendo Comportamento estranho de estrela revela buraco negro solitário em aglomerado estelar gigante

Moldados os primeiros segmentos do espelho principal do ELT

ESO
26/02/2018

Os seis primeiros segmentos hexagonais do espelho principal do Extremely Large Telescope do ESO acabam de ser moldados pela companhia alemã SCHOTT na sua fábrica principal em Mainz. Estes segmentos farão parte do espelho primário de 39 metros do ELT, o qual terá 798 segmentos no total. O ELT será o maior telescópio óptico do mundo, com primeira luz prevista para 2024.

O espelho primário de 39 metros de diâmetro do Extremely Large Telescope (ELT) do ESO [1] será de longe o maior já construído para um Continuar lendo Moldados os primeiros segmentos do espelho principal do ELT

“Aperfeiçoando” galáxias

Hendrik Macedo
09/07/2017

Pessoa contempla o Universo. [1]
Imagens de quatro galáxias foram postadas no Twitter juntamente com um pedido de ajuda para classificá-las em relação às suas respectivas espécies. Continuar lendo “Aperfeiçoando” galáxias

Usando um telescópio para estudar eletrodinâmica quântica

Marcelo M. Guimarães
11/12/2016

Impressão artística mostrando como a luz originada na superfície de uma estrela de nêutrons (à esquerda) é linearmente polarizada à medida que atravessa o espaço em direção à Terra (à direita). Nos dois quadros menores podemos ver um modelo computacional que mostra como a polarização da luz é modifica pelo intenso campo magnético, os vetores vermelhos representam o campo magnético e os vetores azuis o campo elétrico. [1]
Impressão artística mostrando como a luz originada na superfície de uma estrela de nêutrons (à esquerda) é linearmente polarizada à medida que atravessa o espaço em direção à Terra (à direita). Nos dois quadros menores podemos ver um modelo computacional que mostra como a polarização da luz é modifica pelo intenso campo magnético, os vetores vermelhos representam o campo magnético e os vetores azuis o campo elétrico. [1]
A mecânica quântica surgiu no início do século 20 para nos ajudar a entender o comportamento de coisas muito pequenas, Continuar lendo Usando um telescópio para estudar eletrodinâmica quântica

Um sistema múltiplo observado no momento de sua formação

Marcelo M. Guimarães
30/10/2016

Imagem do sistema L1448 IRS3B feita com o ALMA mostrando duas protoestrelas no centro e uma terceira protoestrela mais distante à esquerda. A estrutura espiral de gás e poeira, também visível na imagem, indica instabilidade gravitacional no disco. [1]
Imagem do sistema L1448 IRS3B feita com o ALMA mostrando duas protoestrelas no centro e uma terceira protoestrela mais distante à esquerda. A estrutura espiral de gás e poeira, também visível na imagem, indica instabilidade gravitacional no disco. [1]
Ao se fazer a estatística de multiplicidade estelar percebe-se que a maioria das estrelas possuem uma Continuar lendo Um sistema múltiplo observado no momento de sua formação

A Abundância de água no Sistema Solar

Marcelo M. Guimarães
09/10/2016

Planeta Terra, onde água pode ser encontrada nas fases sólida, líquida e gasosa. [1]
Planeta Terra, onde água pode ser encontrada nas fases sólida, líquida e gasosa. [1]
Até o início do século XXI os únicos locais onde havia água no Sistema Solar, segundo nosso conhecimento, Continuar lendo A Abundância de água no Sistema Solar

Planeta gigante ou Anã Marrom?

Marcelo M. Guimarães
11/09/2016

Imagem da Nebulosa de Orion (M42) obtida com o satélite WISE. [1]
Imagem da Nebulosa de Orion (M42) obtida com o satélite WISE. [1]
A imagem acima mostra grandes nuvens de gás e poeira a partir das quais as estrelas nascem. De forma sucinta, devido à baixa temperatura dessas nuvens Continuar lendo Planeta gigante ou Anã Marrom?

Encontrado um planeta parecido com a Terra em Proxima Centauri

Marcelo M. Guimarães
28/08/2016

Esquema gráfico comparando o Sol com Proxima Centauri e a órbita de Mercúrio com a órbita de Proxima b. Dados de Proxima Centauri podem ser vistos nos infográficos. [1]
Esquema gráfico comparando o Sol com Proxima Centauri e a órbita de Mercúrio com a órbita de Proxima b. Dados de Proxima Centauri podem ser vistos nos infográficos. [1]
Os boatos se confirmaram e o Observatório Europeu Austral (ESO – European Sourthen Observatory) confirmou a descoberta de um exoplaneta com 1,3 massas da Terra, Continuar lendo Encontrado um planeta parecido com a Terra em Proxima Centauri

Atmosfera de um exoplaneta na ponta do lápis

Marcelo M. Guimarães
24/07/2016

Impressão artística de um exoplaneta com atmosfera transitando na frente da sua estrela. Quando observamos a luz da estrela no momento que ocorre o trânsito podemos detectar as assinaturas espectrais da atmosfera do exoplaneta.
Impressão artística de um exoplaneta com atmosfera transitando na frente da sua estrela. Quando observamos a luz da estrela no momento que ocorre o trânsito podemos detectar as assinaturas espectrais da atmosfera do exoplaneta. [1]
A invenção de calculadoras e posteriormente de computadores impulsionou a ciência em direções impensáveis. Cálculos que na época do papel e lápis poderiam levar horas, agora são feitos em microssegundos por um celular. Continuar lendo Atmosfera de um exoplaneta na ponta do lápis