O LIGO e a física de altas energias

Bruno Carneiro da Cunha
04/12/2017

O primeiro evento de colisão de buracos negros detetado pelo LIGO. Os sinais dos dois detetores são mostrados separados e depois juntos. A distância entre os dois detetores é de 3000 km. [1]
Quando se fala em interações fundamentais da natureza, a gravitação aparece como a mais fraca e, por isso mesmo, a mais difícil de ser estudada. Continuar lendo O LIGO e a física de altas energias

O quê alimenta os Buracos Negros Supermassivos?

Marcelo M. Guimaraes
12/06/2016

Impressão artística do coração de Abell 2596 BGC, onde nuvens frias gigantes se precipitam em direção a um buraco negro supermassivo. Essa impressão artística também mostra o jato bipolar e o disco de acreção em torno do buraco negro. [1]
Impressão artística do coração de Abell 2596 BGC, onde nuvens frias gigantes se precipitam em direção a um buraco negro supermassivo. Essa impressão artística também mostra o jato bipolar e o disco de acreção em torno do buraco negro. [1]
O buraco negro supermassivo que habita o centro de cada galáxia (espiral ou elíptica) cresce continuamente à medida que Continuar lendo O quê alimenta os Buracos Negros Supermassivos?

Einstein acerta de novo: ondas gravitacionais são reais

Marcelo M. Guimarães
14/02/2016

Sinais medidos pelo LIGO em setembro de 2014. No primeiro painel temos o sinal medido pelo interferômetro em Hanford, Washington e no painel do centro vemos o sinal medido pelo interferômetro de Livingston, Louisiana. O último painel mostra os dois sinais sobrespostos. Crédito: Caltech/MIT/LIGO Laboratory.
Sinais medidos pelo LIGO em setembro de 2014. No primeiro painel temos o sinal medido pelo interferômetro em Hanford, Washington e no painel do centro vemos o sinal medido pelo interferômetro de Livingston, Louisiana. O último painel mostra os dois sinais sobrespostos. Crédito: Caltech/MIT/LIGO Laboratory.

Foi em 11 de Fevereiro de 1916 [1] que Albert Einstein, usando sua recém escrita Teoria da Relatividade Geral [2 e 3], previu a existência de um tipo completamente diferente de onda. Continuar lendo Einstein acerta de novo: ondas gravitacionais são reais