Agência FAPESP
25/05/2023

Professora da USP e bolsista explicam, em publicação estrangeira voltada ao público infantojuvenil, que tubarões que vivem próximos a áreas urbanas de Miami, nos Estados Unidos, são mais gordos e consomem comida de pior qualidade do que os animais de áreas conservadas (imagem: reprodução)

André Julião | Agência FAPESP – Tubarões não comem hambúrguer e nem batata frita, ainda assim podem ter uma dieta pouco saudável e ficar mais gordos quando expostos às condições das áreas urbanas. A maior ingestão de restos de pescaria, por exemplo, pode estar influenciando a dieta dos chamados tubarões urbanos, em comparação com animais que vivem em áreas mais conservadas.

Esse é o mote do artigo publicado na revista Frontiers for Young Minds por pesquisadoras do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP) apoiadas pela FAPESP.

A revista do grupo Frontiers é voltada a crianças e adolescentes. Além dos editores adultos, como qualquer outra revista científica, esta tem revisores entre 8 e 15 anos, que leem os artigos e recomendam alterações que tornem compreensíveis os assuntos para esse público.

Os textos sempre têm como base um estudo publicado numa revista revisada por pares, o que dá credibilidade ao conteúdo. O artigo de agora é baseado em estudo publicado pelo grupo da USP em 2022, na Science of the Total Environment (leia mais em: agencia.fapesp.br/38557/).

“Um dos nossos objetivos com essa publicação é alcançar um público mais amplo para o nosso trabalho. Ao adquirir conhecimento ainda no começo da vida sobre a importância dos tubarões, talvez esses jovens possam influenciar os pais e tomar melhores decisões no futuro para que esses animais não sejam extintos”, diz Bianca Rangel, que fez seu doutorado no IB-USP com bolsa da FAPESP.

“Além disso, foi muito interessante e enriquecedor passar pela experiência de um processo de revisão por pares em que os revisores são crianças. Um grande desafio foi conseguir comunicar de forma clara e objetiva a ciência que fazemos no campo e no laboratório para esse público”, destaca Rangel.

“Os tubarões são extremamente importantes para o equilíbrio dos oceanos e até do clima do planeta. Ações precisam ser tomadas já para diminuir a sobrepesca e garantir um futuro melhor para nossas crianças”, complementa Renata Guimarães Moreira, professora do IB-USP e coordenadora da pesquisa apoiada pela FAPESP.

O texto tem como terceiro autor o norte-americano Neil Hammerschlag, professor da Universidade de Miami e coorientador de Rangel durante o doutorado.

O artigo Urban Living Affects the Nutrition of Sharks pode ser lido em inglês em: https://kids.frontiersin.org/articles/10.3389/frym.2023.911054.
Este texto foi originalmente publicado por Agência FAPESP de acordo com a licença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia o original aqui.

Como citar este texto: Agência FAPESP. Para reforçar necessidade de preservar tubarões, grupo publica artigo em revista científica para crianças.  Texto de André Julião. Saense. https://saense.com.br/2023/05/para-reforcar-necessidade-de-preservar-tubaroes-grupo-publica-artigo-em-revista-cientifica-para-criancas/. Publicado em 25 de maio (2023).

Notícias científicas da Agência FAPESP     Home