Jornal da USP
24/07/2023

Uso de dicas verbais na Educação Física facilitam o aprendizado de habilidades motoras – Foto: Reprodução/Freepik

A aquisição de habilidades motoras ocorre em quase todos os níveis escolares, desde a educação infantil, com foco na aquisição das habilidades, até o ensino médio, quando se destaca a aprendizagem por meio dos movimentos. Para facilitar o processo de aprendizado, professores de Educação Física podem utilizar dicas verbais para direcionar, ensinar ou aprimorar os movimentos dos alunos durante o ensino de algum esporte, dança, jogo ou exercício. Segundo uma pesquisa da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE), a experiência profissional dos docentes afeta diretamente a elaboração dessas dicas de aprendizagem e, portanto, a eficiência da prática pedagógica.

Dicas de aprendizado e habilidades motoras

Uma das estratégias utilizadas durante o ensino de uma habilidade motora é o uso de dicas verbais. Elas ajudam o aluno a canalizar a atenção para as ações mais relevantes da tarefa – como olhar para um ponto fixo ao aprender a habilidade de se equilibrar –, tornando o processo mais significativo e divertido.

Para entender o que motiva professores a elaborarem essas dicas, Leandro Baroni Câmara Pontes, sob orientação do professor Sergio Roberto Silveira, desenvolveu uma pesquisa que contou com a participação de 337 docentes de Educação Física dos programas de escola de tempo integral da rede pública Estadual de São Paulo. Os voluntários responderam um formulário, disponibilizado online, com perguntas sobre sua formação acadêmica, experiência profissional e o uso de dicas de aprendizagem em sala de aula.

Os resultados constataram que grande parte das dicas é de autoria dos professores. Além disso, aqueles que possuíam tempo de magistério entre dez e 15 anos mostraram ter mais propensão em utilizá-las. O nível de ensino em que atuava o profissional também foi levado em consideração. A maior parte das dicas se concentrou no ensino médio, com foco em habilidades específicas (usadas no esporte: chutar, arremessar), e anos iniciais do fundamental, com foco em habilidades básicas (usadas no dia a dia e em aula: correr, saltar).

Outro aspecto considerado no estudo foi o modelo de escola em que os professores estavam inseridos. A pesquisa abrangeu a Escola em Tempo Integral (ETI) e o Programa de Ensino Integral (PEI), que fazem parte do projeto de Educação em Tempo Integral da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo em 2005, vigente até os dias atuais. De acordo com os resultados da pesquisa, os professores do Programa Ensino Integral (PEI) adequaram-se melhor aos critérios utilizados na pesquisa em relação aos da Escola em Tempo Integral (ETI).

As escolas PEI oferecem melhores condições de trabalho, que, assim como o tempo de magistério, o processo de seleção, a experiência profissional, os programas de educação continuada e os investimentos em recursos didáticos, podem contribuir de maneira significativa para análise da produção dos conhecimentos dos professores, dentro do contexto de elaboração das dicas de aprendizagem. Esses, entre outros fatores, podem refletir em uma maior preparação e motivação do profissional.

Educação física no ensino básico e o futuro da pesquisa na área

A Educação Física Escolar (EFE) constitui aprendizados que vão além das habilidades motoras e serão importantes mesmo após o aluno completar o ensino básico.

“É função da EFE ensinar o movimento e sobre os desdobramentos que os movimentos têm no seu caráter biológico, social, cultural. Ao observar uma aula de educação física na escola, existem ali diversas transformações a que esses alunos estarão expostos, exposições essas que lhe permitirão se desenvolver para além de um praticante de alguma modalidade específica, mas também para seu desenvolvimento mais completo como um futuro cidadão”, afirma o pesquisador Leandro Baroni.

Mesmo tendo grande relevância, a produção científica sobre a Educação Física Escolar ainda é escassa. Estudos sobre o tema são importantes, pois ajudam a avaliar a qualidade do ensino básico e entender o que é necessário melhorar no processo de formação de crianças e adolescentes. Baroni diz que, antes, a formação docente valorizava mais a execução do que o ensino e desenvolvimento dos alunos.

Dessa maneira, estudar o uso de dicas verbais foi uma forma de avaliar como está a bagagem dos professores hoje em dia, já que as dicas são um reflexo da prática pedagógica. “Ainda existem processos e lacunas que devem ser discutidos e desenvolvidos. Essa pesquisa atua exatamente em favor disso, apontando as suas características e deixando um legado para as futuras pesquisas que podem, e devem, completar e desenvolver as lacunas”, pontua.

A dissertação Estudo dos efeitos da experiência profissional dos professores de educação física na elaboração de dicas para o ensino de habilidades motoras foi apresentada à Escola de Educação Física e Esporte da USP, na área de concentração de Estudos Socioculturais e Comportamentais da Educação Física e Esporte. O trabalho completo encontra-se disponível no banco de teses da USP e pode ser acessado por meio do link. [1], [2]

[1] Texto: Redação da Seção de Relações Institucionais e Comunicação da EEFE, editado por Luiza Caires.

[2] Publicação original: https://jornal.usp.br/ciencias/dicas-verbais-potencializam-a-aprendizagem-motora-nas-aulas-de-educacao-fisica-escolar/.

Como citar este texto: Jornal da USP. Dicas verbais potencializam a aprendizagem motora nas aulas de Educação Física Escolar. Saense. https://saense.com.br/2023/07/dicas-verbais-potencializam-a-aprendizagem-motora-nas-aulas-de-educacao-fisica-escolar/. Publicado em 24 de julho (2023).

Notícias do Jornal da USP     Home