ESO
15/08/2023

Enxame globular NGC 6723. Crédito da imagem: ESO/S. Meingast et al.

Esta Fotografia da Semana — obtida pelo telescópio VISTA (Visible and Infrared Survey Telescope) do ESO, instalado no Observatório do Paranal no Chile — mostra uma imagem infravermelha de NGC 6723, um enxame globular situado a cerca de 28 000 anos-luz de distância da Terra, na constelação do Sagitário. Os enxames globulares são conjuntos esféricos de estrelas, ligadas fortemente entre si pela gravidade. O seu nome deriva do latim, da palavra globulus, que ser dizer esfera pequena — o que é um pouco enganador, já que o NGC 6723, tal como a maioria dos enxames globulares, contém entre centenas de milhar a milhões de estrelas. 

Até à data, os astrónomos descobriram mais de 150 enxames globulares na nossa galáxia, a Via Láctea, a maior parte dos quais se estima terem pelo menos 10 mil milhões de anos de idade. Estas estruturas contêm algumas das estrelas mais velhas da Galáxia.

Os enxames globulares foram determinantes para nos localizarmos na Via Láctea, no início do século XX. O astrónomo americano Harlow Shapley mediu as distâncias a vários enxames globulares e reparou que estes tinham uma distribuição mais ou menos esférica, mas que o Sol não se encontrava no seu centro. Shapley inferiu, corretamente, que o coração da Via Láctea se situa no centro desta distribuição de enxames globulares, o que coloca o Sol nas periferias da nossa Galáxia. [1]

[1] Publicação original: https://www.eso.org/public/portugal/images/potw2333a/

Como citar este texto: ESO. Repleto de estrelas. Saense. https://saense.com.br/2023/08/repleto-de-estrelas/. Publicado em 15 de agosto (2023).

Notícias científicas do ESO     Home