ESO
18/04/2023

[1]

Esta Fotografia da Semana mostra o jovem objeto estelar 244-440 na Nebulosa de Orion observado com o Very Large Telescope (VLT) do ESO — a imagem mais nítida alguma vez obtida para este objeto. A estrutura sinuosa magenta trata-se de um jato de matéria lançado perto da estrela, mas porque é que terá esta forma?

As estrelas muito jovens encontram-se frequentemente rodeadas por discos de material, que cai em direcção à estrela. Parte deste material pode ser expelido em poderosos jatos perpendiculares ao disco. O jato em forma de S de 244-440 sugere que o que se esconde no centro deste objecto não é uma, mas sim duas estrelas em órbita uma da outra. Este movimento orbital altera periodicamente a orientação do jato, de modo semelhante ao funcionamento de um aspersor de água. Outra explicação plausível prende-se com a possibilidade da forte radiação de outras estrelas na nuvem de Orion poder estar a alterar a forma do jato.

Estas observações, apresentadas num novo artigo científico liderado por Andrew Kirwan da Universidade de Maynooth, na Irlanda, foram obtidas com o instrumento MUSE (Multi Unit Spectroscopic Explorer) montado no VLT do ESO, no Chile. As cores vermelha, verde e azul mostram a distribuição de ferro, azoto e oxigénio, respetivamente. Mas isto é apenas uma pequena fracção de todos os dados recolhidos pelo MUSE, que, na realidade, captura milhares de imagens em diferentes cores, ou comprimentos de onda, em simultâneo, permitindo assim aos astrónomos estudar não só a distribuição de muitos elementos químicos diferentes, mas também a forma como estes se deslocam.

Além disso, o MUSE está instalado no Telescópio Principal nº 4 do VLT, o qual se encontra equipado com uma infraestrutura de óptica adaptativa avançada que corrige a turbulência atmosférica, fornecendo imagens mais nítidas do que as obtidas pelo Telescópio Espacial Hubble. Estas novas observações permitirão aos astrónomos estudar com um detalhe sem precedentes como é que as estrelas nascem em nuvens massivas como a de Orion. [2]

[1] Crédito: ESO/Kirwan et al.

[2] Publicação original: https://www.eso.org/public/portugal/images/potw2316a/

Como citar este texto: ESO. Um aspersor estelar. Saense. https://saense.com.br/2023/04/um-aspersor-estelar/. Publicado em 18 de abril (2023).

Notícias científicas do ESO     Home